Blog Destaque Mensagens

O jumentinho de Jesus

26 de March 2024

O jumentinho de Jesus

Antes de entrar em Jerusalém, o Senhor Jesus enviou dois de Seus discípulos para buscar algo que Ele precisava. Veja o que está escrito no capítulo 11 do livro de Marcos:

“E, logo que se aproximaram de Jerusalém, de Betfagé e de Betânia, junto do Monte das Oliveiras, enviou dois dos Seus discípulos,
E disse-lhes: Ide à aldeia que está defronte de vós; e, logo que ali entrardes, encontrareis preso um jumentinho, sobre o qual ainda não montou homem algum; soltai-o, e trazei-Mo.
E, se alguém vos disser: Por que fazeis isso? dizei-lhe que o Senhor precisa dele, e logo o deixará trazer para aqui.
E foram, e encontraram o jumentinho preso fora da porta, entre dois caminhos, e o soltaram.
E alguns dos que ali estavam lhes disseram: Que fazeis, soltando o jumentinho?
Eles, porém, disseram-lhes como Jesus lhes tinha mandado; e deixaram-nos ir.
E levaram o jumentinho a Jesus, e lançaram sobre ele as suas vestes, e assentou-Se sobre ele.
E muitos estendiam as suas vestes pelo caminho, e outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho. E aqueles que iam adiante, e os que seguiam, clamavam, dizendo: Hosana, bendito o que vem em Nome do Senhor;…” – Marcos 11:1-9

A única vez em toda a Bíblia, de Gênesis a Apocalipse, em que Deus disse “Eu preciso” foi quando pediu que Seus discípulos fossem buscar esse jumentinho que nunca havia sido montado por ninguém. Ou seja, as primícias da Criação.

Deus, Criador de todas as coisas, da natureza e da humanidade, exigiu que Lhe trouxessem esse animal que nunca havia sido montado como sinal de Primícia, Honra ao Criador. Deus merece o Principal, o Primeiro, como sinal de consideração, gratidão e fidelidade.

Mas Ele sabia que o mal tentaria de alguma forma impedir isso, então, antecipando-se, disse-lhes que, se alguém lhes perguntasse por que soltavam o jumentinho, respondessem: “Porque o Senhor precisa dele, mas logo o devolverá”.

Em outras palavras, tudo o que Deus nos pede para fazer é porque teremos a honra de servi-Lo, a oportunidade de interagir com Ele.

A fé, a gratidão, o amor e a fidelidade são abstratos, mas vou dar alguns exemplos claros de quando os materializamos para Deus:

  • Quando oramos,
  • Quando realizamos a unção com o Óleo de Sinais e Prodígios,
  • Quando apresentamos nossas ofertas voluntárias,
  • Quando louvamos fervorosamente,
  • Quando separamos as primícias antes de fazer qualquer coisa e as trazemos ao Seu Altar,
  • Quando fazemos o bem a alguém, sem esperar nada em troca,
  • Quando oramos e agradecemos antes de comer…

Assim, estamos demonstrando fé, fidelidade, gratidão, amor, dependência, reconhecimento de que Ele é o Senhor de nossas vidas. Estamos materializando a fé, o amor, a confiança, a dependência, porque tudo isso é abstrato, mas quando eu oro, jejuo, me unjo, dou o dízimo, oferto, o que estou fazendo? Materializando a fé.

Não é Deus quem precisa, somos nós que precisamos manifestar essa fé, e Ele quer que manifestemos a fé para que, através dela, Ele alcance outros através de nós, como alcançou muitos através do jumentinho, que estava preso.

Você não pode ficar preso, sua fé, sua consciência, sua vida, sua alma não podem ficar presas ao passado, a maus exemplos, nós não podemos aceitar estar presos a coisas, dinheiro, pessoas, lugares, situações que marcaram nossas vidas positiva ou negativamente, porque já são passado, porque nem Deus vive da glória do passado.

Quando Jesus pediu para soltarem o jumentinho, estava dizendo a eles para aprenderem a ser livres.

Você se torna o jumentinho de Jesus quando dá testemunho dEle em sua maneira de ser, em seu caráter. Quando você administra sua empresa de maneira justa, íntegra, quando lida com seu patrão ou funcionários e é um exemplo para eles, você está sendo esse jumentinho, este meio de transporte que levará Jesus à sua família e conhecidos.

Quando em casa, diante de uma situação em que todos reagem negativamente, murmurando, reclamando, desesperando-se, você age positivamente como alguém que tem o Príncipe da Paz dentro de seu coração, com equilíbrio, com esperança, com firmeza, com certeza: “não estamos sozinhos nesta batalha, mas temos que lutar, e Deus luta conosco”, você é a força, a paz, o equilíbrio, a esperança, você está sendo o jumentinho em seu lar.

Este jumentinho hoje é quando você está disposto a evangelizar alguém no transporte, quando oferece um jornal às pessoas que estão sentadas, e muitas vezes, conseguem chegar à Igreja através de alguém que lhes entregou um jornal, um folheto, com algumas palavras acompanhadas de fé e esperança que as ajudaram. E ninguém viu, exceto Deus, que vê tudo o que fazemos, principalmente quando estamos lá fora, diante das dificuldades ou das oportunidades.

Espiritualmente falando, há pessoas que não despertam e não amadurecem na fé.

Você decide se fica preso como um jumentinho, ou decide se tornar o jumentinho de Jesus e levar vida e esperança para as pessoas.

Nos veremos na IURD ou nas Nuvens!
Bispo Júlio Freitas