Blog Destaque Mensagens

Os 7 Poderes do Pai Nosso – 1º Poder

31 de December 2023

Os 7 Poderes do Pai Nosso – 1º Poder

Na oração do Pai Nosso, aprendemos 7 Poderes que Jesus revela.
No versículo 9 do capítulo 6 do Evangelho de Mateus, diz:

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o Teu Nome…”

O Altíssimo é um Pai Santo, e Seus filhos também devem viver, andar com Ele em Santidade – separados. Devemos reverenciá-Lo e honrá-Lo em nossas orações, pensamentos, desejos, ofertas, atitudes, dízimos, palavras e em nossa vida em geral.

Nosso Pai está nos céus, acima de tudo, não em nosso nível. Se O considerarmos assim, dominaremos neste mundo e não seremos dominados por nenhum mal.

Deus nos dará visão para empreender, tomar decisões e ver Seu Poder, Cuidado e Provisão em nossas vidas em 2024, não importando os desafios, más notícias, lutas ou problemas. Honraremos a Ele em primeiro lugar em nossas vidas, e Ele nos honrará com Seus 7 Poderes.

Quando honramos o Pai que está nos céus, Ele nos concede:

  1. Sabedoria: para desenvolver talentos, administrar, negociar, multiplicar…
  2. Saúde: para dar o melhor em tudo o que fazemos…
  3. Força: para concluir tudo o que começamos, disposição, diligência, perseverança…

Mas devemos remover de dentro do Seu templo, que é nosso corpo, os ladrões que estão na mente:

  • Olhos: a malícia, maus olhos.
  • Ouvidos: acreditar e obedecer a rumores.
  • Boca: murmurar, reclamar.
  • Coração: dúvida, soberba, inveja, ressentimento.
  • Mãos: negligência, indolência, tocar no que não é nosso.
  • Pés: andar por caminhos ruins.

O Senhor Jesus revela os 7 Poderes que Ele proporciona a todo ser humano que quer vencer não apenas os problemas ou o mal, mas seu próprio eu e tudo que o separa de Deus.

Apesar da incredulidade, corrupção, destruição, egoísmo, inflação, murmúrios, perdas e crises, o Pai Nosso nos oferece paz e segurança (saúde, sabedoria e força) aos fiéis, àqueles que escolhem considerá-Lo e serem fiéis a Ele em primeiro lugar em suas vidas.

O primeiro poder que Deus nos dá é nos tornarmos Seus filhos chamando-O de Pai. Na época de Jesus, não era permitido chamar Deus de Pai, era considerado blasfêmia. Jesus foi condenado à morte na cruz quando perguntado se era o Filho de Deus, e Ele respondeu: “Sim, Eu Sou”.

O ser humano não foi criado como filho, foi formado como criatura. Os filhos de Deus, como disse Jesus, são aqueles que nascem dEle. Jesus veio ao mundo, deu Sua vida por nós, para que pudéssemos, por escolha pessoal e individual, fazer a vontade do Pai como Ele fez, tornando-nos filhos de Deus.

A Bíblia diz que Jesus era o Filho Unigênito, o Único Filho que Deus tinha. 

“Disse-lhe Jesus: Eu Sou o Caminho, e a Verdade e a Vida; ninguém vem ao Pai, senão por Mim.” João 14:6

Em outras palavras, “Se você quer ser filho de Deus, precisa aceitar Meus ensinamentos, entender que Meus ensinamentos são para que você, criatura, aprenda e entenda que Deus não quer ser adorado apenas como o Criador, mas como Pai”.

Quando há essa afinidade, esse aproximar do filho ao Pai, isso O agrada extraordinariamente, porque o diabo e seus demônios lutaram para impedir que o ser humano entendesse o Plano Divino de tornar-se templo dEle, morada dEle, habitação dEle pelo Espírito Santo, de tornar-se filho de Deus.

Jesus deu a vida por nós na cruz há 2000 anos, ressuscitou dos mortos, ascendeu aos céus e enviou o Espírito Santo, que nos libertou da morte e nos fez entender por que éramos criaturas problemáticas, amargas, tristes, complexadas, vazias, sem desejos ou razão de viver. A razão é que éramos criaturas, não filhos, e acreditávamos em Deus à nossa maneira, acreditávamos em deuses com olhos que não veem, mãos que não tocam, pés que não caminham. Desconhecíamos as Escrituras, desconhecíamos o poder que Deus dá a todo ser humano de chamá-Lo de Pai.

Mas não é apenas chamar Deus de Pai; muitas pessoas fazem isso, mas não agem como filhos. O que faz de alguém filho de Deus não é chamá-Lo de Pai, mas escolher como viver, que pensamentos alimentar em sua mente.

Deus sabe o que você permitiu entrar por seus olhos, imagens sujas, violentas, de horror, ou se olha e se vê feio, velho, gordo, magro, branco ou negro. Cuidado com como você se vê e como vê as pessoas, porque Deus não as vê como as criaturas as veem. As criaturas veem as pessoas pelo exterior e as julgam, mas Deus e Seus filhos as veem como almas, e a alma não tem sexo, idade, nacionalidade.

O que você diz, como diz, o que faz, se murmura, reclama, se lamenta e exalta a ação do mal, sua boca não deveria fazer isso. Deveria se vigiar e vigiar suas palavras, porque está escrito que da mesma boca que sai “Aleluia”, “Eu te amo, Senhor Jesus”, “Santificado seja o Teu Nome”, não deveriam sair murmurações, piadas sobre a Palavra de Deus, fofocas sobre a vida alheia, do vizinho, do funcionário, do obreiro.

Cuidado, porque há poder nas palavras, são como flechas que, uma vez lançadas, não voltam, e você e eu prestaremos contas de cada palavra que proferimos. Nossa boca deve ser usada para abençoar e não amaldiçoar, para evangelizar e não julgar.

E os ouvidos, o que entra pelos meus ouvidos? A quem escuto? Você liga a televisão e ouve um monte de vozes querendo explicar, todos querem aparecer, nas redes sociais todos querem se sentir importantes e não as usam para Glorificar a Deus, mas para alimentar o ego. Não sei o que entra pelos seus ouvidos, mas eu escolho o que ouço, você deve cuidar de quem ouve. Há pessoas, até dentro de sua casa, que estão sempre atacando sua fé, o humilham, ameaçam, chantageiam, cuidado com quem deixa entrar em seus ouvidos!

Uma coisa é ouvir e outra é escutar, escutar é prestar atenção, e se você prestar atenção em tudo o que ouve, estará perdido, agirá como uma criatura hiperemotiva, problemática, amargurada.

Não basta chamar a Deus de Pai, eu tenho que agir como filho. Então, não vou permitir que em meus ouvidos entrem as palavras de todos, nem que meus olhos absorvam o que desejam ou cobiçam.

Nesta altura do ano, as pessoas olham para o que falta e não para o que têm, compram o que não devem, mesmo que não precisem, e se endividam, isso é pecado e não agrada a Deus. Não compro porque os outros compram, mas porque preciso, para proteger o que Deus me confiou, compro com o que sobrou dos 10%, com meus 90% consagrados, dedicados a Deus.

Você deveria ensinar seus filhos a agradecer a Deus antes de comer, e se não quiserem agradecer, que comam fora. A estar todos os domingos de manhã na igreja, e se não quiserem, que sintam falta de casa. Diga-lhes que você é dizimista e ofertante e não está brincando com a Palavra de Deus, você O chama de Pai e Ele lhe deu sabedoria, Sol, oxigênio, vida na Terra, o tornou inteligente, tudo isso veio do Criador.

Você deve ensinar seus filhos a valorizar e doar algo sempre que compram algo novo. Diga-lhes que tudo em casa é abençoado porque é dizimado e ofertado, e estão desfrutando disso porque Deus lhes deu. Ensine seus filhos a honrá-Lo e agradecê-Lo se quiserem fazer parte de sua casa. Se não ensinarmos isso, criamos crianças mimadas que querem tudo na mão e não valorizam nada.

Temos a responsabilidade de valorizar, ser gratos, considerar, respeitar, porque, do contrário, chamamos a Deus de Pai, mas agimos como criaturas. Isso ofende a Deus, e Ele pergunta: “Por que você Me chama de Pai se não age como filho? Olhe para as obras de suas mãos, você não faz as coisas com vontade, não se esforça”.

Você deve fazer tudo para Deus, mesmo que ninguém valorize, porque foi Ele quem lhe deu esse talento. Deve fazer o melhor, tudo com carinho, com amor, não pode haver negligência, indiferença, roubo em suas obras. Não toque nas coisas dos outros e muito menos nas de Deus.

Isso se aprende em casa, na educação, e se você não teve pai nem mãe que ensinassem, temos um Pai Celestial e uma mãe, que é a Igreja, e Deus usa bispos, pastores, obreiros para orientar.

Seus pés estão trilhando caminhos ruins e você chama Deus de Pai, mas anda com pessoas que o influenciam a fazer o mal e acaba se desviando, fazendo concessões, e isso aumenta, você ficará perdido, com medo do presente e do futuro, e Deus não aceita isso.

Chame Deus de Pai, mas aja como filho: “Meu Pai está no Céu e para lá vou, mas, enquanto estiver nesta Terra, nesta mente, nestes olhos, nestes ouvidos, nesta boca, neste coração, nestas mãos, nestes pés, não vou deixar entrar o que não agrada ao meu Pai Celestial que me vê, me ouve e acompanha cada um dos meus passos”.

“…santificado seja o Teu Nome…”

Santificar o Nome de Deus é respeitá-Lo.
Eu só briguei uma vez na escola, porque envolveram minha mãe, virei um leão, foi pela minha mãe, pelo meu instinto de filho. Hoje, as pessoas deixam que ofendam o Nome de Deus e não se importam, é como se fosse nada.

Ele disse que quer habitar não em templos construídos por mãos humanas. Que templo é este? O coração de cada um. Veja o que Jesus disse no Evangelho de Marcos:

“E vieram a Jerusalém; e Jesus, entrando no templo, começou a expulsar os que vendiam e compravam no templo; e derrubou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas.
E não consentia que alguém levasse algum vaso pelo templo.
E os ensinava, dizendo: Não está escrito: A Minha casa será chamada, por todas as nações, casa de oração? Mas vós a tendes feito covil de ladrões.” Marcos 11:15-17

Quando o Senhor Jesus expulsou os religiosos do templo, Ele o fez porque não respeitavam o Sagrado e, assim, não Santificavam o Nome do nosso Pai.
Não consideravam a Casa de Meditação, Oração, serviço a Deus, o Templo como a Casa do Pai Celestial, eles a desonravam, ao verem as Coisas Sagradas e Santas sem reverência, sem levar em conta o Pai do Pai nosso do Céu.

Essa é a indignação do Senhor Jesus nos dias de hoje, ao ver as pessoas na Igreja, vendo os dízimos como 10% de seus ganhos, as ofertas como dinheiro e os sacrifícios como bens materiais. Quando na realidade o Pai nosso os VÊ assim:

  • Dízimo como Fidelidade
  • Oferta como Gratidão
  • Sacrifício como Confiança.

A atitude do Senhor Jesus ao expulsá-los do Templo mostrava o que também devemos fazer com tudo o que é mau e tenta contaminar Seu Templo hoje, que é nosso espírito (mente), alma (coração), corpo (vida).

Devemos aprender a honrar a Deus em vez de desonrá-Lo. Isso nos conecta com o Pai nosso: “Santificado Seu Nome”.

Santificado Seu Nome é: “Eu quero prosperar não apenas para meu bem-estar ou prazer pessoal…, mas para honrar a meu Pai Celestial. Porque tudo o que Ele me confiou —trabalho, talentos, família, negócio… assim como Suas Promessas— é para que eu O sirva ganhando almas para o Reino do Céu”.

Hoje o templo somos nós, quando você faz, diz, ouve o que não deve, alimenta seu coração com o que não deve, está violando o templo de Deus. Quem tem que expulsar tudo o que não agrada a Deus é você.

Por isso Jesus disse: “A Casa de Meu Pai é lugar de oração, não de aproveitar-se dos dízimos e dos sacrifícios para benefício próprio”. E os expulsou. Então, veja se o que está em suas mãos, olhos, ouvidos, pés, é para benefício próprio e desagrada a Deus. Veja se você O chama de Pai, mas, na prática, age como um religioso ou como uma criatura.

Quando oramos, damos o dízimo, ofertamos, sacrificamos, estamos santificando Seu Nome em nossas vidas. Os religiosos transformaram o templo (a casa de Deus) em um “covil de ladrões”.

Não se esqueça de que hoje esta casa é nossa mente, coração, ouvidos, olhos, boca, mãos e pés. Que ladrão está roubando esta casa?

Quando Jesus veio ao mundo, honrou o Pai que está no Céu, o serviu, foi um exemplo, mostrando como um filho deve honrar seu Pai.

Por isso Deus disse: “Este é Meu Filho Amado em quem Me comprazo…”

Como filhos, temos duas opções:

  • Honrar o Pai (Santificando Seu Nome, fazendo o que Lhe agrada)
  • Ou desonrá-Lo fazendo o que não Lhe agrada.

Deus já nos deu tudo, e a única coisa que Ele pede é o Primeiro Lugar em nossa vida, eu O honrarei em Primeiro lugar em minha vida e Ele me honrará com Seus 7 Poderes.

Quem decide quem estará em Primeiro Lugar em minha mente, coração, alma, sou eu. A Bíblia diz que tudo pertence ao Senhor, Ele é o Criador, mas sobre uma única coisa Ele não tem poder: a alma.

Nosso corpo volta ao pó, e o espírito, que é a inteligência, volta para Deus, mas a alma, cada um decide para quem será, para Deus Pai se tornando filho, ou para a morte eterna, separada de Deus por toda a eternidade por não aceitá-Lo, reverenciá-Lo e amá-Lo como Pai. Esta é a escolha de cada um.

Que o Poder do Pai nosso se apodere de você nestas 7 primeiras semanas do ano.

Nos vemos na IURD ou nas Nuvens!
Bispo Júlio Freitas

 

Leia também:
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 1º Poder 
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 2º Poder 
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 3º Poder 
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 4º Poder 
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 5º Poder 
– Os 7 poderes do Pai Nosso – 6º Poder