Mensagens

Ter aparência e sermos Filhos do Rei é brutal!

16 de Dezembro 2012

Ter aparência e sermos Filhos do Rei é brutal!

A vida é uma guerra! O ser humano já nasce no meio da dor, a primeira reação de vida é um grito, e, a partir daí serão lutas e mais lutas. Desde o nascimento até ao último fôlego de vida enfrentaremos guerras e mais guerras. Por isso, o Senhor Jesus afirmou que não veio trazer paz a este mundo, senão Espada.

Na vida encontramos pessoas que são verdadeiras guerreiras: trabalham de sol a sol, são honestas, creem em Deus, vão à igreja, são pais dedicados, cidadãos exemplares… porém, PERDEDORAS! Deveriam ser o contrário, porém, têm vindo a perder, diariamente, a guerra contra os traumas, a injustiça, a doença, os vícios, a separação familiar, os complexos, a miséria, sem conseguirem compreender o porquê. Mas, nós sabemos o porquê, senão, vejamos:

“Depois perguntou a Zeba e a Salmuna: Como eram os homens que matastes em Tabor? E responderam eles: Qual és tu, tais eram eles; cada um parecia filho de rei.” (Jz 8.18)

Estes homens que morreram, pareciam filhos de Rei, mas não eram! Assim são as pessoas que vão à guerra, mas desprezam o mais importante: NASCER DO ESPÍRITO SANTO! Têm a aparência por causa do título, têm a aparência porque têm conhecimento, têm aparência porque vêm ao Centro de Ajuda, mas, porque não são filhos de Deus, até vão à guerra, mas não voltam. Terminam abatidos pelos inimigos, que são os problemas, isso quando não desertam, blasfemam, se vendem, se rendem, se acomodam.

Somente os que Nascem de Deus vencem ao mundo, Gideão era Filho de Deus e, por isso, venceu.
A nossa maior guerra é travada dentro de cada um de nós, e ela é constante. É sentimento contra razão; é passado contra presente; medo contra coragem; mágoas contra o perdão… e somente quem faz uso da fé inteligente mantém-se vencedor nesta guerra.
O segredo está na obediência à Palavra de Deus, como já dissemos: “Os fortes são os que obedecem!” (Joel 2.11)

Se Deus mandou, então, o que se tem de fazer é obedecer. A fé não é manifestada por sentimentos e sim por atitudes.
Zebá e Salmuna, que eram os reis dos inimigos de Gideão, representam os demónios que trabalham na cabeça das pessoas, fazendo uso apenas da “razão” e da “lógica”. O diabo confunde as pessoas quando elas deixam de usar a fé inteligente, para se apoiarem somente na lógica (que é a aparente solução mais conveniente no momento) e na razão (que é a explicação do porquê não lutar mais ou do porquê estar derrotado).

A fé é loucura para os que se perdem (usam apenas a lógica e a razão), e quando a pessoa se deixa influenciar, ainda que ela seja de Deus, será derrotada! Nós fazemos uso da fé inteligente, “O meu justo viverá pela fé…”, ou seja, vivemos pela nossa certeza que se cumprirá o Prometido por Deus e determinação em obedecer à Sua Palavra. Para os que creem, não tem lógica duvidar do Criador ou procurar razões para não se sujeitar aos Seus Mandamentos, quando Eles sempre têm toda a razão.

Mas, não devemos fazer uso da inteligência? Sim, mas não por esta ordem: lógica, razão e depois fé; mas, sim pela seguinte ordem: fé inteligente, que é “certeza do que se espera”, lógica na decisão e razão na obediência a Deus.
“Então disse ele (Gideão): Eram meus irmãos, filhos de minha mãe; vive o Senhor, que se lhes tivésseis poupado a vida, eu não vos mataria. E disse a Jeter, seu primogénito: Levanta-te, mata-os. O mancebo, porém, não puxou da espada, porque temia, porquanto ainda era muito moço.” (Jz 8.19-20)

O filho de Gideão deixou-se influenciar pela juventude que aparentavam (sentimento) e pelo título que aqueles homens ostentavam.
“Então disseram Zebá e Salmuna: Levanta-te tu mesmo, e acomete-nos; porque, qual o homem, tal a sua força.” (Jz 8.21)

O filho de Gideão era um guerreiro, fazia parte dos 300, mas porque se apoiou na lógica e na razão, desprezou a sua fé inteligente e tomou a decisão de não puxar da espada, baseando-se no que estava diante dos seus olhos (o maior transmissor de sentimentos). E assim são as pessoas que não colocam a fé em primeiro lugar, tomam decisões pelo que veem, pelo que entendem, pelo que sabem, pelo que ouvem… sendo sempre vistas como derrotadas. “Qual o homem, tal a sua força”, todos sempre teremos medo, porém, devemos dominá-lo através da obediência à Palavra de Deus. Se Deus mandou perdoar, devo perdoar! Se mandou pisar e queimar o diabo, vou fazer. Se Ele mandou resistir à tentação, jejuar, sacrificar… então, assim devo proceder. Não podemos agir somente pelo explicável, a fé não se explica, ou se crê ou não se crê. É uma questão de obediência!

“Levantando-se, pois, Gideão, matou Zebá e Salmuna, e tomou os crescentes que estavam aos pescoços dos seus camelos. Então os homens de Israel disseram a Gideão: Domina sobre nós, assim tu, como teu filho, e o filho de teu filho; porquanto nos livraste da mão de Midiã. Gideão, porém, lhes respondeu: Nem eu dominarei sobre vós, nem meu filho, mas o Senhor sobre vós dominará. Disse-lhes mais Gideão: uma petição vos farei: dá-me, cada um de vós, as arrecadas do despojo. (Porque os inimigos tinham arrecadas de ouro, porquanto eram ismaelitas). Ao que disseram eles: De boa vontade as daremos. E estenderam uma capa, na qual cada um deles deitou as arrecadas do seu despojo.” (Jz 8.22-25)

Aquele Gideão que se considerava o menor, o último da sua família, agora era aclamado como vencedor. Tornou-se governante da sua própria vida e também de toda a Nação de Israel.
De último se fez primeiro;
De pobre se fez rico;
De se esconder passou a perseguir, e tudo pela OBEDIÊNCIA à Palavra de Deus.

Onde estão a lógica e a razão no que Deus pediu que Gideão fizesse? “Destrói o altar de baal e corta o poste ídolo; Sacrifica o boi de 7 anos…”
Agindo lógica e razoavelmente, ele teria necessitado do apoio dos concidadãos para derrotar os inimigos.

Onde estão a lógica e a razão no tocar das trombetas, quebrar dos cântaros e acender das tochas, que Deus mandou que Gideão fizesse?

É, meus caros, aprendo com tudo isso que: Assumir uma fé inteligente é obedecer sem se preocupar com as consequências!

“E o Senhor levanta a Sua Voz diante do Seu exército, porque Muitíssimo Grande é o Seu arraial; e Poderoso é quem executa a sua ordem.” (Joel 2.11)
Quem deseja entregar-se a Deus, sendo obediente à Sua Palavra, então, oferecerá toda a vida a Ele, agora, aí onde você está!

Obs.: A prova de que você não quer apenas ter aparência de filho do Rei e quer tornar-se um filho do Deus-Rei, é o abandono da vida velha, então, batize-se nas águas antes do ano novo!

Te vejo na IURD, ou nas Nuvens!

Anterior

15deDezembro

Seguinte

16deDezembro


9 comments
  1. Vitor / Garibaldi-RS

    Um dos segredos para vencer o mal é não olhar para a dificuldade.Se vê que Jeter não usou a inteligência naquela hora.

  2. LUIZ CARLOS

    é verdade infelizmente esta em todos os lugares ate no altar do nosso senhor JESUS MAS UM DIA SERA REVELADO.NA FÉ

  3. Maria do Céu Antunes / Almada

    Viver de aparência significa frustração, ilusão, derrota. Tenho de lutar a cada instante contra a acomodação e tudo o que me impede que eu usufrua a verdadeira vida com Deus.

  4. Pedro Cruz

    Tá ligado

  5. Marcos Paulo

    Amén.

  6. Carlos Velasco - Ajuda

    Para obtermos resultados da nossa fé, temos mesmo que fazer o uso da fé inteligente, pois só ela faz o impossivel acontecer, Gideão não tinha condições, mas porque obedeceu a voz de Deus, teve a resposta e realizou os seus sonhos, de pobre passou a rico, de fraco a forte. Só quem obedece é poderoso! (Joel 2.11)

  7. muito produtivo ! aprendi algo muito bom !!!

  8. Isabella Barboza

    Amém Bispo! É verdade, viver de aparência se tornou uma coisa comum, algo que acho inaceitável.Obrigado pelas palavras de fe.

  9. João Marques

    Muito bom este estudo. Temos que saber viver. Aquele que é Deus realmente vai à luta e vence não só porque toma atitudes de acodo, mas também porque Deus é com ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.