Mensagens

Pare de discutir sobre ele!

28 de Janeiro 2011

Pare de discutir sobre ele!

Se um casal decide pautar a sua vida segundo os preceitos narrados na Bíblia, o seu lar só se pode tornar feliz: “Bem-aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos! Do trabalho das tuas mãos comerás, feliz serás, e tudo te irá bem. Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme ao SENHOR!” (Salmos 128.1-4).

Uma pessoa convertida a Jesus tem n’Ele o seu maior amor e riqueza. A esposa, os filhos, os pais, os amigos, o dinheiro, os bens patrimoniais e tudo o resto é relegado para segundo plano e quando dizemos isto não se trata de um plano teórico, mas sucede nos aspectos práticos da vida de todas as pessoas que se convertem a Jesus.

Convém que o casal viva a fé que professa, já que é desta comunhão diária com Deus que irá depender o respeito mútuo e a paz na forma como se relacionam. A maior parte dos casais acredita que quando o casamento não vai bem é porque o amor está a arrefecer ou a perder a força, mas isso nem sempre é verdade. Na verdade, duvido muito que isto aconteça quando o casal mantém uma comunhão estreita com Deus. Por isso creia que se você viver em perfeita comunhão com Deus, também viverá com a sua metade.

Concretizar

É muito habitual escutar as pessoas dizer que são as “pequenas contas” que acabam por perfazer os grandes rombos no orçamento familiar. De facto, existe uma tendência para não ligar aos números pequenos e dar atenção apenas aos grandes, contudo, é importante não cair neste erro já que o planeamento que fazemos, para ser o mais exacto possível, deverá passar por números e propostas concretas. Na verdade, as generalizações só provocam confusão e induzem o casal em erro. Por isso, quando elaborar o seu plano financeiro familiar faça-o sobre números específicos e não um cenário fictício.

Os números sobre a mesa

Quando duas vidas se unem é ilusório pensar que apenas trazem para a relação coisas boas, ou seja, é natural que dois adultos que se unem tenham já um background, uma vida. E esta vida implica um percurso e este percurso poderá implicar muitas atitudes (certas ou erradas) tomadas. Estudar, comprar casa, carro, investir, tudo isso implica gastar dinheiro e, na maior parte das vezes, gasta-se dinheiro que não se tem. Ou seja, muitas vezes, quando duas pessoas se unem para formar um casal já o fazem tendo, individualmente, dívidas. Desta forma, é importante que ambos conheçam tanto os ordenados como as dívidas um do outro para não haver “surpresas” e haja, acima de tudo, sinceridade e honestidade um para com o outro.

……………………………………………………………………………………………………………………

Flexibilidade

Como já foi referido, seguir um plano é fundamental, porém, saber lidar com os imprevistos que surgem à medida que o mesmo é aplicado, ou seja, ao longo da vida, é igualmente importante. A esta capacidade ou habilidade chama-se de flexibilidade e ser flexível é mais do que uma qualidade, é uma arte, pois não é qualquer pessoa que se sabe adaptar às diferentes situações que surgem. Para isto, é preciso que a pessoa saiba considerar os interesses e a importância da outra metade do casal.

Comunicação

Este é um factor crucial para que uma relação corra bem. A comunicação é preponderante porque é a ponte que se vai estabelecer entre duas pessoas que, aparentemente, não se estão a entender sobre determinado assunto. É comunicando que o casal vai ter a possibilidade de falar sobre a sua situação económica, como também discutir os temas que estão pendentes. Se o casal souber comunicar é meio caminho andado para resolver as suas questões, em qualquer área que elas surjam.

……………………………………………………………………………………………………………………

Projectos a longo prazo

Actualmente, para a população em geral, este é considerado como um dos piores momentos para manter ou sequer apostar nos projectos a longo prazo, já que a tão propagada crise tem feito com que os planos apenas se reduzam ao futuro mais próximo. Todavia, todos os casais devem ter projectos a longo prazo, que podem ser desde um fundo de investimento, até uma viagem ou passando pela compra de uma casa nova.

Estabelecer prioridades

Para um casal estar bem, em qualquer área, primeiro, terá de agir como se de uma pessoa só se tratasse, ou seja, tem de haver união e esta unidade traduz-se num acordo mútuo, compreensão e entendimento em todos os aspectos e decisões tomadas. Estas decisões revelam-se especialmente no estabelecimento de prioridades, ou seja, o que é mais importante terá de ir para o topo da lista sem que se faça concessões em prol de caprichos individuais. A partir do momento em que se dá importância aos interesses individuais de cada um e não do casal como um todo este começa a perder a sua identidade e força.

……………………………………………………………………………………………………………………

Revisão

De nada vale ter um plano financeiro se você não pretender cumpri-lo, por isso é que esta é uma das etapas mais importantes quando se trata de evitar que os problemas económicos afectem a sua relação afectiva. Só quando supervisionados é que os planos financeiros, de facto, funcionam. Os frutos desta supervisão podem ter de resultar num reajustamento de aspectos que possam estar a falhar no seu plano financeiro ou de formas de melhorá-lo para que possa rentabilizar as suas finanças. Certifique-se de que o seu plano é realista e actue sobre o mesmo.

Seja positivo!

Discutir excessivamente sobre um tema apenas cria descontentamento e frustração, especialmente se as discussões apenas colocam em evidência os aspectos negativos. Desta feita, os comentários negativos sobre a situação económica, uma vez já discutida, só servem para criar mal-estar. Por isso, em tudo na vida, seja sempre positivo, recorrendo à fé sempre que sinta que as suas forças físicas não sejam suficientes para suplantar o seu problema, quanto mais não seja porque o negativismo nada de bom produz ou atrai, sem ser mais situações que causem mais mal-estar.

……………………………………………………………………………………………………………………

1ªParte!

É um “mal necessário” segundo o senso comum, mas todos concordam que, sem ele, é impossível viver neste Mundo. Na verdade, o dinheiro (ou a falta dele), tanto pode unir como desunir, mas existem maneiras de evitar que os problemas económicos afectem a sua relação afectiva!

Equilíbrio

Reduzir, manter ou aumentar os gastos é o grande dilema que está no cerne da manutenção ou quebra do equilíbrio financeiro de um casal ou família. No entanto, uma coisa é certa, é bom ser precavido, mas de vez em quando também é bom dar-se a si mesmo ou ao seu companheiro/a um prémio e para isso é necessário aprender a ser flexível. Não seja “devotado” ao dinheiro, mas também não seja um esbanjador. Lembre-se sempre de que o dinheiro existe para servir ao ser humano e não o oposto. Na verdade, a Bíblia já diz que “…o amor ao dinheiro é raiz de todos os males…”(1Tm 6.10) e um desses grandes males é a pessoa desviar-se da fé, já que a cobiça é a “filha” do amor ao dinheiro.

Elaboração de um plano financeiro familiar

A grande maioria das pessoas vive de um rendimento mensal fixo, ou seja, de um salário. E, quando o recebe, a rotina habitual é “fazer contas à vida”. Separar o dízimo e pagar as contas fixas como a renda de casa, a água, a luz, o gás faz parte das obrigações mensais de qualquer casal, contudo, existem outras que são inesperadas e que por vezes podem causar rombos nas suas contas. Por isso, é muito importante elaborar um plano financeiro, ou seja, de um lado colocar as despesas e do outro os ganhos e tentar equilibrar os mesmos.

Por seu Servo em Cristo, Bp. Júlio Freitas


11 comments
  1. Olá bispo, boa tarde (= Amei essa mensagem, muito bacana mesmo. Em tudo na vida devemos ter planejamento, porém como o senhor disse também temos que estar preparados para as eventualidades. Muito importante sabermos lidar com os problemas, mas também com as soluções. Na Fé, Joice Silva ;)

  2. Socorro

    Obispo obligada por nos anudar tanto com usas mensajes.deus o agencie mas e mas.

  3. Victoria

    Solo quería decir que la flexibilidad de la que habla es importante y alcanzable. ¿cuántas veces no hablamos con una amiga y llegamos a entendernos? porqué sería diferente en el matrimonio? El miedo suele ser el mismo, perder ante el contrincante ¿verdad? Pero la perdida no se produce por el hecho de no ser flexible? Muchas gracias por la enseñanza. Victoria- Argentina

  4. BOA NOITE BISPO JULIO na minha opiniao depende dos dois o dialo no casamento e muito importante pois se tem diago eles vao pemsar antes de toma uma desisao este assunto financeiro e muito interesante aproveito pra fazer uma pergunta BISPO estes temas estao num livro eu ia fica feliz se tivese um livro com todos esses temas kkkkkkkkkk

  5. valquiria

    Pois e Bp eu creio q tudo o q fazemos para nosso DEUS ELE nao esquece as vezes parece demorado o resultado mas o tempo de DEUSnao e o nosso tempo o q plantamos colhemos,eu creio q ate o mas cabeça dura se da por vencido diante do nosso comportamento isso quando seguimos as instruçoes do ESPIRITO SANTOeu so sei de uma coisa q vai arrebentar e o q estava dando errado vai dar certo pois eu sei em quem tenho crido abraço ao sr e a Dona Viviane DEUS ilumine seus ministerios

  6. Melani

    En lo personal creo que la cualidad de ser flexible para tener la capacidad de acostumbrase a la situación que sea, viene solo de Dios, que nosotros solos no podríamos.

  7. Bom dia Bispo,bom Bispo e quando ja se fez de tudo pra que o casamento ande em harmonia e mesmo assim ele ainda é cabeça dura o quer fazer rss.Um abraço Bispo seu blog é muito tem mim abençoado.

  8. SOLANGE GRAÇAS

    E VERDADE AS VEZES DEIXAMOS ASSUNTOS FINANCEIROS INTERFERIR EN NOSSA VIDA NO 1º PLANO E ESTA ERRADO NÉ. NA FÉ SOLANGE GRAÇAS

  9. SOLANGE GRAÇAS

    OBRIGADO PELA ORIENTAÇÃO FIQUE COM DEUS .....SOLANGE GRAÇAS

  10. Elizete

    É sempre bom aprender sobre isso, pois é muito dificil as dificuldades financeiras não atrapalhar qualquer relação. Até isso devemos vigiar, não só casamentos mais, em qualquer convivio.

  11. Elizete

    É sempre bom aprender sobre isso, pois é muito dificil a falta de dinheiro não atrapalhar qualquer relação. Até isso devemos vigiar, não só casamentos mais, em qualquer convivio.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.