Mensagens

O homem de Deus e a Autoridade (Parte 2)

28 de Novembro 2014

O homem de Deus e a Autoridade (Parte 2)

A Bíblia indica que eram homens malignos os que acusaram Nabote por ordem de Jezabel.

“Os homens da cidade, os anciãos e os nobres que nela habitavam fizeram como Jezabel lhes ordenara, segundo estava escrito nas cartas que lhes havia mandado.”

Por que motivo o povo obedeceu a Jezabel? Porque as cartas foram enviadas com o selo real; logo, no entendimento dos anciãos, era uma ordem direta do rei, que tinha de ser obedecida. Isto nos mostra o cuidado que devem ter todos os que foram revestidos de Autoridade, uma vez que as suas ordens serão obedecidas sem se questionar, e podem originar enormes injustiças, como a que aconteceu com Nabote.

“Apregoaram um jejum e trouxeram Nabote para a frente do povo. Então vieram dois homens malignos, sentaram-se defronte dele e testemunharam contra ele, contra Nabote, perante o povo, dizendo: Nabote blasfemou contra Deus e contra o rei. E o levaram para fora da cidade e o apedrejaram e morreu.”

Estes homens malignos usaram uma desculpa com teor espiritual para justificar uma atitude maligna.

Assim acontece quando alguém, revestido de Autoridade, permite que sejam feitas diligências em seu nome e, quando surge algum problema, “empurra” a responsabilidade para quem fez o trabalho. Quando permite que se cometam injustiças para seu benefício, mas condena quem as fez, se excluindo da sua função de responsável.

Mesmo numa democracia, muitas vezes vemos um totalitarismo a vigorar ao nosso redor. Existem muitos totalitaristas que, por causa do seu preciosismo, colocam em causa os colegas, a Igreja e o trabalho.

Quando o responsável é totalitarista, quais são as consequências? Pense nisso.

“(…) Tendo Jezabel ouvido que Nabote fora apedrejado e morrera, disse a Acabe: Levanta-te e toma posse da vinha (…) Tendo Acabe ouvido que Nabote era morto, levantou-se para descer para a vinha de Nabote, o jezreelita, para tomar posse dela.”

Jezabel alcançou o seu objetivo porque não mediu esforços, mas Deus vê todas as coisas e as consequências viriam, como vêm na vida de quem age da mesma forma.

“Então veio a palavra do Senhor a Elias, o tesbita, dizendo: Dispõe-te, desce para encontrar-te com Acabe, (…) eis que está na vinha de Nabote, onde desceu para tomar posse dela. Falar-lhe-ás, dizendo: Assim diz o Senhor: Mataste e, ainda por cima, tomaste a herança? Dir-lhe-ás mais: Assim diz o Senhor: No lugar em que os cães lamberam o sangue de Nabote, cães lamberão o teu sangue, o teu mesmo.”

Deus nem sequer refere Jezabel, mas confronta Acabe, através do profeta, com os seus erros. Mostra-nos que, independentemente de quem aja, se for permitido por nós, a responsabilidade é sempre nossa e a consequência também. Muitas vezes, quem tem que ir a campo se faz de fraco e se desculpa, mas o papel de líder não é chorar e sim agir, não é ser vítima, mas assumir o que lhe foi confiado.

“Perguntou Acabe a Elias: Já me achaste, inimigo meu? Respondeu ele: Achei-te, porquanto já te vendeste para fazeres o que é mau perante o Senhor.” (I Reis 21; 1 a 29)

Como poderia ter Acabe visto Elias como inimigo? Pode um profeta ser nosso inimigo? Claro que não! No entanto, Acabe sabia que tinha errado e se vendido, por isso, a presença de Elias o incomodava.

Quando o homem de Deus se esconde atrás de alguém, então, mostra-se fraco, está a vender-se e a negar o Próprio Deus.

Há quem diga que melhor é um covarde vivo do que um herói morto.

Sim, o covarde sempre poderá transformar-se em herói, assim como cada um de nós sempre pode aprender, deixando de ser fraco e tornando-se forte.

Entretanto, um herói morto, nem da própria fama que conquistou poderá desfrutar!

Deus abençoe a todos,

Leia Também:
O homem de Deus e a Autoridade – Parte 1

Bp. António Carlos – Portugal

Anterior

28 novembro

Seguinte

29 novembro


14 comments
  1. Joana Ochôa - Cruz de Pau - FJE Cruz de Pau

    Bom Dia, Bispo Júlio Muito forte, esta palavra (ajudou-me bastante) :) Três aspectos essenciais chamaram a minha atenção. Devemos não só ser responsáveis pelas nossas palavras como pelos nossos actos (Quando eu temo a Deus, eu vigio os meus pensamentos, o meu comportamento, as minhas palavras estou sempre alerta, vigiando, isso é o temor - eu vigio as minhas acções para não desagradar a Deus, fico sempre atenta diante de qualquer situação, mas quando eu não tenho o temor, deixo-me levar facilmente pela inveja, pelo orgulho e outras coisas prejudiciais. O temor que eu trago comigo é que garante o meu futuro, é ele que me irá cobrar atitudes obedientes, se eu deixo de exercitar esse temor deixo também de ser sábia, o temor tem que ser constante); O papel de líder é o de agir e assumir o que lhe foi confiado. (não o de "mandar", mas sim motivar aqueles/as que estão ao seu redor - não esquecendo que Deus tudo sabe, tudo vê e tudo ouve); Fazer sempre o que é certo, independentemente das opiniões (favoráveis ou não); (Quando a nossa prioridade é ser para Deus não nos preocupamos em agradar ninguém a não ser o nosso Senhor, não temos a preocupação do que pensam ou deixam de pensar, a nossa vida e nossa vontade passa a ser pautada através da vontade de Deus, obedecer à Sua vontade passa a ser o meu foco todos os dias e por causa desse foco Ele faz-me ver onde eu preciso de mudar e mostra-me o caminho certo para o fazer, mas se eu procuro agradar ao homem os meus olhos nunca serão abertos. Como Paulo diz: não seria serva de Cristo). Deus Abençoe.

  2. Não podemos se esconder por de trás de ninguém, para que não nos tornamos fracos temos que ser de atitude, e não se esconder na sombra de ninguém.

  3. FJE CRUZ DE PAU - Marisa

    Boa noite bispo julio, Realmente temos de ter cuidado com as nossas palavras para com quem quer que seja, e tendo esse cuidado consequentemente vamos ter cuidado com as nossas atitudes diante dde Deus e dos homens. Temos que assumir as nossas responsabilidades sem tentar meter a culpa em na ninguem e muito menos ter esconder um erro porque alem do estrago exterior, faremos um estrago interior muito maior. Muito forte, o post ajudou bastante!

  4. FJE Cruz de Pau - Diogo

    Boa Noite Sr Bispo Júlio, Muito forte, foi que quando Deus nos dá uma tarefa com muito importância assumi la e vigiar para que não se torne maldição para a nossa vida, tambem entendi que nunca devemos dar desculpas de erros que cometemos ou passar desculpas para outras pessoas mas sim assumi las.

  5. FJE Cruz de Pau - Ruben

    Boa Noite Sr Bispo Julio, Muito forte, o que entendi foi que autoridade que nos é concebida por Deus devemos assumi la com todo o nosso ser, se algo acontecer nunca desculpar se do erro que fizemos ou inventar desculpas e nem passar para outra pessoa porque se fizermos isso podemos passar maldição para nós, mas sim devemos assumi la e corrigir mos o nosso erro.

  6. FJE Nelson - FJE CRUZ DE PAU

    boa noite bsp. É MUITO FORTE QUEM UM SERVO ELE SEMPRE FAZ O ALEM ELE NAO MOSTRA PRA O HOME MAIS SIM PARA DEUS

  7. Daniela Monteiro - FJE Cruz de Pau

    Boa Tarde, Sr. Bispo nunca devemos desprezar a autoridade que nos é concedida e devemos nos tornar responsaveis a cada coisa que nos é confiada. Da mesma forma, que Acabe se escondeu, pensando que não iria ser punido, pensou errado pois aos olhos de Deus nada é passado. Por isso, devemos de ver as nossas atitudes pois as coisas de bom ou mau somos nós que usufruiremos disso. Por isso, servo que é servo deve servir ao seu Senhor.

  8. mamy mendes - Fje Mira - Sintra

    Boa tarde Sr. Bp Julio, quando é nos dado uma responsabilidade seja onde for, no grupo jovem, em casa, na escola, temos que a executar com inteligência, muitas das vezes, por exemplo no meu caso, quando a esposa ou o pastor me davam uma responsabilidade, eu não parava para pensar como, quando e aonde ia buscar recursos para executa - la, passava por cima de tudo e de todos até da líder para poder concluir aquilo que me foi dado, corria mal é claro, o pastor me questionava o motivo de aquilo ter corrido mal e eu culpa sempre a líder, como ela é que estava á frente do grupo era mais fácil culpa - la, me excluía totalmente do erro, e isso acabou me sujando por dentro. A mensagem que o Bp publicou serve para qualquer um de nós, pensar se da maneira como tomamos decisões por cima da palavra do nosso superior nao vai interferir no grupo e na nossa vida espiritual

  9. FJE Cruz de Pau - Ruben

    Boa tarde bispo, Muito forte, isto mostra a importância de sabermos utilizar a Autoridade que nos foi dada por Deus, sempre vigiando para que essa Autoridade não se venha tornar uma maldição para a nossa vida. Também chamou me a atenção a importância de assumir as nossas responsabilidades e decisões, e não tentar esconder atrás de outrens. Ajudou-me muito, Deus abencoe o sr e a sua familia!

  10. Força Jovem Cruz de Pau - Juelma Sambalanda

    - Uau , é impressionante Bispo, Deus não foi na superfície do problema, mas foi na raiz . embora o erro tenha sido cometido por terceiros Ele não quis saber, foi até a origem do mesmo. As vezes não matamos alguém fisicamente, Mas com uma palavra Venenosa , Disse me disse , acabamos por levar alguém a fazer o trabalho sujo por nós. - Pois o papel de líder não é chorar e sim agir, não é ser vítima, mas assumir o que lhe foi confiado. E é de extrema importância saber que Deus vê tudo, ouvi tudo, Ah e sabe tudo. - Temos sempre de fazer o que é certo, mesmo que isso signifique desagradar a algumas pessoas e não ser bem visto por outras. - Obrigada Bispo :-D -

  11. Eurico - FJE Cruz de Pau

    Bom dia Bispo, A realidade é que muitos dentro do mundo, usam essa autoridade para beneficio próprio. No mundo, ou sem a consciência da autoridade Espiritual(Porque posso reconhecer a minha mãe Espiritual(A igreja), mas não reconhecer o Pai(Deus)),de acordo com os nossos objectivos podemos abusar dessa autoridade de forma negativa em situações em que somos beneficiados sem ter o contacto direto com a situação( e que podem também prejudicar outros), essas acções provocadas por nós, mas executadas por outros sujeitos a nossa autoridade, levam-nos futuramente a responder sobre as autoridades. O mesmo acontece no campo Espiritual, qualquer que seja a minha atitude, executada ou não por mim, vai-me levar futuramente a responder diante do Altissimo, o que pode levar ao lago de enxofre, ou a Plenitude Eterna..Qualquer pessoa, em qualquer circuntancia pode passar por acabe, basta, que cada um, seja consciente, e usar a sua autoridade para que sejam reflectidas coisas benignas na vida. Obrigado Bispo pela Reflexão.

  12. Clayton Silva

    Bom dia bispo Antonio e ao todos. Na Justiça o inocente não pode pagar por aquele cometeu o delito, isso é injustiça! Esse é o. Unidade que se deve tomar antes de qualquer atitude, para não acontecer de se agir precipitadamente e prejudicar ou mesmo comprometer a vida de um inocente. Muito forte essa mensagem para reflexão e se analisar as atitudes cometidas Provérbios 19:2 Não é bom proceder semrefletir, e peca quem é precipitado Fico agradecido. Saudações. Atenciosamente. .

  13. Fábio Medeiros- FJE Açores(S.Miguel)

    "Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR fraudulosamente..." Jeremias 48.10 Quando um líder dá mau testemunho, deveras irá influenciar os que estão ao redor dele; o mesmo se deu com Lúcifer: "E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." Apocalipse 12:9 ... Por isso tal como ensina o ESPÍRITO SANTO, assim devemos agir: "Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza." 1Timóteo 4:12

  14. Fje Cruz De Pau-monica varela

    Bom dia Sr.Bp JUlio. Um Servo nunca deve medir esforços para alcançar o seu objetivo por mais difícil que seja nem se esconder mostrando assim fraqueza e negação ao Deus Vivo mas pelo contrário assume sempre o que lhe foi confiado em suas mãos e toma atitude

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.