Mensagens

Lugar de Decisão

30 de Novembro 2014

Lugar de Decisão

Elias tinha uma tarefa árdua pela frente, ele contra a incredulidade, seca, fome, mentiras, e os falsos profetas de Baal… 1 contra 852*…

(*Acabe e Jezabel)

“QUEM É O VERDADEIRO DEUS?”

Era esta a resposta que dependia daquele desafio lançado pelo profeta Elias, que tinha por objetivo libertar o Povo de Deus da sede, fome, miséria e escravidão derivados do engano religioso e político da época, onde cavalos e mulas valiam mais do que vidas humanas. Mas, assim como o Fogo de Deus consumiu o holocausto no Monte Carmelo, continua, hoje em dia, a Consumir o mal, arde por justiça e espalha-se através das nossas vidas, Membros do Centro de Ajuda espalhados por todo o mundo.

Por este motivo, todas as pessoas devem ser levadas ao mesmo desafio, que começa no Altar do Sacrifício-voluntário, no Alto do Monte Carmelo. Porém, o Sacrifício de Elias não foi simples, na verdade, foi bastante complexo, exigindo a realização de várias etapas, que o próprio Elias fazia questão de cumprir, uma a uma, para nos deixar o exemplo de superação e realização por meio da Fé-Sacrificial no Deus-Vivo:

1º AS 12 PEDRAS DO ALTAR

Elias desafiou, começando por reconstruir o Altar por todo o Israel (12 pedras). Ou seja, a recolha das 12 pedras não foi aleatória.

Aquela escolha significava que todo o povo estava ali, representado pelas 12 Tribos de Israel, observe que o Profeta do Deus-Vivo disse: “Tomou doze pedras, segundo o número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual viera a Palavra do Senhor, dizendo: ‘Israel será o teu nome’.”

Ele estava convocando para aquele momento, que exigia união e não separação. E que momento era aquele? Era o momento da decisão, da definição, do abandono das velhas práticas e do assumir da Fé-Inteligente. E assim é o desafio do Sacrifício.

Ricos e pobres, cultos e incultos, homens e mulheres, todos são chamados a uma decisão, como está Escrito: “Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim…” (1 Rs 18:30,31), pois aquele era o momento e o lugar da decisão.

2º A GRANDE VALA

[floatquote]Depois, fez um rego em redor do altar tão grande como para semear duas medidas de sementes. De maneira que a água corria ao redor do altar; ele encheu também de água o rego” (1 Rs 18:32,35)[/floatquote]

Este rego, ou sulco, feito em redor do Altar, seria o limite de separação entre o Sacrifício e o restante, nomeadamente, do próprio Elias.

Ao encher de água, inclusivamente, o rego, o que é que Elias estava a querer mostrar? Que ele e o sacrifício eram um só, que já não havia distinção ou separação entre ambos.

O que Povo mais queria era a água, a chuva, mas, para isso era necessário o Sacrifício. Era esta a Visão (rego, circulo) do que Deus derramaria sobre Israel, ou seja, de bênçãos sem limites, sem princípio nem fim, sem fronteiras e eternas.

3º ARMAR A LENHA

Mas, a tarefa de Elias não ficou por restaurar apenas o Altar e derramar a água sobre e ao redor do mesmo e sobre o holocausto, fazendo transbordar o rego.

Faltava a lenha, pesada e difícil de transportar, mas, sem a qual, o Sacrifício não queimaria. Todavia, observe o pormenor de esta lenha estar completamente encharcada, facto que impossibilitaria a sua combustão, já que todos sabemos que a lenha seca é a que queima melhor. Porém, nenhum detalhe poderia faltar no Sacrifício de Elias, ele teria que ser completo!

Não poderia deixar nada para ser feito depois do clamor. Tudo tinha e tem que estar feito, preparado para se apresentar o Sacrifício.

4º OFERTA DE HOLOCAUSTO

Era ponto assente, o Fogo iria descer do Alto se houvesse holocausto, todavia, mesmo em miséria extrema, a oferta de Sacrifício teria de ser feita aqui, na terra, por Elias. Esta seria a parte “visível”, para que o Invisível, o Sobrenatural acontecesse. E, assim, Elias colocou ambas as partes da oferta de holocausto para que todos vissem a dimensão da sua fé, entrega e dependência, ou seja, que ele, de forma alguma, duvidava que o milagre fosse acontecer.

[floatquote]Então, armou a lenha, dividiu o novilho em pedaços, pô-lo sobre a lenha.” (1 Reis 18:33)[/floatquote]

5º DERRAMAR A ÁGUA

4 cântaros por 3 vezes – ou seja, Elias derramou 1 cântaro, o equivalente a 12,5 Litros, por três vezes, totalizando, assim, 150 litros de água, que, na altura, valia mais que ouro. Este ato simbolizava, novamente, o Sacrifício pelas 12 tribos de Israel, arriscando-se Elias por todos.

A água simbolizava, exatamente, o que não existia, a atuação do impossível, mesmo diante das dificuldades.

[floatquote]e disse: Enchei de água quatro cântaros e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. Disse ainda: Fazei-o segunda vez; e o fizeram. Disse mais: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez. De maneira que a água corria ao redor do altar; ele encheu também de água o rego.” (1 Reis 18:34,35)[/floatquote]

E, tal como Elias, também nós do Centro de Ajuda aceitamos primeiro Sacrificar, para que outros milhões façam o mesmo e vejam quão Grande é o nosso Deus!

Deus é contigo e eu também!
Bjf

Anterior

30 novembro

Seguinte

01 dezembro


6 comments
  1. Ricardo Casaca Fj Setubal Sede

    Deus avalia a nossa fé através do sacrifício que colocamos no seu altar, e aprova-nos quando o mesmo nos deixa totalmente dependentes Dele. O sacrifício não se baseia apenas em colocar um bem material, algo valioso no altar, mas colocar aquilo que Deus nos pedir. Certamente Deus pedirá aquilo que mais nos vai custar, como a nossa vida também em favor daquilo que Ele quer, assim como Elias não só derramou a água que era mais valiosa que o ouro, como também colocou a sua vida que era mais valiosa que a água. Quem sacrifica a vida no altar, não tem medo ou receio de sacrificar mais nada porque o mais valioso ja sacrificou. Quando o sacrifício é completo( físico, material e espiritual) e perfeito ( aquilo que Deus pede), é inevitável que o fogo não desça, e consuma tanto o sacrifício como o inimigo, ficando provado que o Deus do centro de ajuda é o verdadeiro Deus!

  2. Fábio Medeiros- FJE Açores(S.Miguel)

    Agora é só praticar para que se cumpra o seguinte: "...oferta queimada, de cheiro suave ao SENHOR." Levítico 1.9

  3. João Marques (Portugal)

    O povo de Israel sacrificava a baal, por este motivo eles passavam fome. Elias veio mostrar que é o verdadeiro Deus, que respondeu através de fogo.

  4. Camila Almeida

    Sem sacrificio e renuncia não existe milagre! Para que possamos ver o sobrenatural de Deus, temos que fazer o nosso sobrenatural, só assim veremos o impossível torna-se possível, assim como o profeta Elias viu!

  5. Clayton Silva

    Boa tarde bispo Júlio e a todos. A verdade é que mesmo diante de toda seca ainda tinham consigo água que guardada para saciarem suas sedes pelos dias que viriam pela frente, mais por quanto tempo ainda toda aquela água duraria ? Certamente que não por muitos mais dias. E foi o que eles tinham guardado que Elias pediu também como SACRIFÍCIO. E quando toda água foi derramada logo após o sacrifico tiveram como RESPOSTA não só o fogo que mostrou quem era o verdadeiro Deus, mais ambulante chuva que supriu todas as suas necessidades. E quantos que tem guardado o que Deus está pedindo como SACRIFÍCIO e só terão suas necessidades supridas é muito mais quando derramarem toda água que Deus exige para mostrar o seu poder. Fico agradecido. Saudações. Atenciosamente.

  6. Rosangela Silvestre freitas

    O sacrifico mostra nossa entrega . Quando ficamos inteiramente na dependência de Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.