Mensagens

Cansei-me! Quero mudar!

10 de Dezembro 2012

Cansei-me! Quero mudar!

DEUS ESTAR PRESENTE (Ver tudo; Saber das suas necessidades; Conhecer o seu sofrimento…)

Muitas pessoas imaginam Deus como um Ser supremo, que permanece impávido e sereno enquanto o caos e a destruição acontecem no mundo.
Elas contra-argumentam, diante das suas necessidades, com o seguinte: “Mas Deus está a ver!; Ele sabe que eu preciso tanto…; Ele conhece-me e tem consciência da dimensão do meu sofrimento…”. Porém, tudo isto apenas para sustentarem a sua teoria de que Ele, de facto, não existe, porque nada tem feito nas suas vidas!

E INVISÍVEL (Não Fez; não Faz e não Fará nada em seu favor; Ele não recebeu o seu sinal por meio do sacrifício voluntário; para que Possa Manifestar o Seu Poder na sua vida…)

O facto é que essas mesmas pessoas esperam, não, na verdade contam como algo certo que Deus atenda a todas as suas necessidades sem que, para isso, “mexam uma palha”. Infelizmente, é esta a postura de milhões no mundo inteiro, como se Deus existisse para as servir em todas as suas necessidades e desejos. Porém, isto é uma inversão total dos papéis. Deus não é servo de ninguém, ou uma espécie de “génio da lâmpada” para atender a todos os seus desejos, pois, a realidade é que nós é que necessitamos d’Ele. Porém, para que Ele possa fazer aquilo de que tanto necessitamos, é necessário que, em primeiro lugar, lhe apresentemos um sinal-sacrifício, que revelará até onde estamos dispostos a ir para chamar a Sua atenção.

VERSUS

DEUS ESTAR PRESENTE (Ver tudo; Saber das suas necessidades; Conhecer o seu sofrimento, mas esperar pelo seu sinal-sacrifício)

Esta é a realidade com que, quem conhece a Verdade, acaba por lidar. A pessoa sabe que Deus vê tudo, sabe das suas necessidades, conhece o seu sofrimento, mas aguarda por um sinal da parte dela para agir, pois, até que isso aconteça, Ele vê-se ‘impedido’ de o fazer. Note que Deus é Omnipotente e Omnipresente, sim, porém, existe um ‘território’ em que Ele, simplesmente, não entra sem que tenha permissão para tal e este território é a nossa própria vida. Este é o ‘preço’ a pagar por termos o livre arbítrio, Deus não faz nada até que manifestemos que a nossa vontade passa por fazermos a Sua Vontade. E a manifestação suprema deste nosso desejo é o sacrifício.

E VISÍVEL (Faz tudo o que você não pode, porque você materializou a sua crença, obediência, confiança, dependência por meio do seu sacrifício voluntário…)

“Eu sei o que tenho feito! Por isso, Senhor, estou pronto para ver as Suas maravilhas na minha vida! ”, é esta a postura da pessoa que não espera apenas que Deus esteja presente, veja tudo, saiba as suas necessidades e conheça o seu sofrimento. Esta pessoa atua sobre a sua crença, através do seu sacrifício voluntário, sendo o mesmo que irá clamar por ela, estabelecendo a sua relação de interdependência com Deus. “Mas, Deus, depender de mim? Como poderá esta dependência ser mútua” – perguntará você… o que acontece é o seguinte, como nem todos estão dispostos a sacrificar (na tribo de Gideão ele era o único…), Deus contou, no caso, com a disposição de Gideão para sacrificar, para que pudesse revelar as Suas maravilhas, todo o Seu esplendor na vida daquele homem e, consequentemente, na da sua família e do seu povo. Deus deseja ficar conhecido pelo seu nome, sim, pelo nome de quem não olha a meios para mostrar a confiança que deposita n’Ele, assim como aconteceu no passado, quando Ele ficou conhecido como “O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó!”; “O Deus de Moisés… de Josué… Elias…” e assim por diante.

Te vejo na IURD, ou nas Nuvens!

Anterior

09deDezembro

Seguinte

10deDezembro


5 comments
  1. Genine Ruivo

    Não podemos agradar a dois senhores. Ou agradamos a Deus fazendo a Sua única e exclusiva vontade, ou agradamos ao diabo. Para que Deus manifeste o Seu poder em nós, nos conceda tudo o que precisamos e queremos, temos de ser nós a dar o primeiro passo. E Deus só se fará presente em nós se vir uma entrega total da nossa parte, da nossa vida no altar. E a entrega consiste no sacrifício, em negarmo-nos a nós mesmos e vivermos pra Ele.

  2. João Marques (Portugal)

    Estava a lembrar-me do caso de Moisés quando estava junto ao Mar Vermelho, Deus o repreendeu por estar a orar em vez de estender o cajado e avançar (tomar atitude). Nós temos duas soluções possiveis, atender à voz de Deus ou à voz do diabo. A obediência à Palavra de Deus provoca a resposta. A obediência a outra voz provoca a decepção. Por isso a necessidade de saber diferenciar a voz de Deus das outras vozes, inclusivé a da religião. Deus só é responsável pela Sua Palavra, Deus não é responsável pela voz da religião. Por isso só alguns são abençoados, aqueles que realmente ouvem e obedecem à voz de Deus.

  3. maria do carmo

    etenho aprendido com o Senhor muita coisa para minha editficaçao Espiritual e coisa mais maravilho que ja li eu cansei de sofrer quero mudar a minha vida vou sacrificar para a transformaçao tutal na minha vida para a todos que me rudeiao verem que o meu Dues e mui mui Grande um Deus vivo que pode tudo ate ressusitar boa noite Bispo e D'a Vivi

  4. Bruno Santos - Luxemburgo

    Olá Bispo! Muitas pessoas não alcançam a realização dos seus sonhos porque possuem no fundo uma fé ilusória, ficam na expectativa que aconteça algo, que Deus faça algo por ela quando isso é apenas ilusão. Segundo o dicionário ilusão é: uma confusão dos sentidos que provoca uma distorção da percepção. Por isso, que não devemos nos deixar enganar pelos nossos sentidos ou viver pelos mesmos, mas sim viver pelo 6º Sentido, que é pela fé. Deus só pode agir na nossa vida quando possuímos uma fé viva, ou seja com obras, pois só assim poderemos chamar a atenção de Deus e reivindicar os nossos direitos. E o que nos traz a maior certeza que temos direito, não são a condição social, os méritos, a raça, a religião, a idade ou sexo.... mas sim quando existe o condimento chave - SACRIFÍCIO. Obrigado pelo cuidado do Sr. , pois estas mensagens são de grande valia e nos ajudam muito. Um Abraço!

  5. Liliana Carvalho - Carnaxide

    Deus nos deu o livre-arbítrio para escolhermos se queremos sacrificar ou não. Pensemos assim um casal em que o rapaz pede a rapariga em casamento se ela aceita casar se com ele é porque ele demonstrou que a amava, na altura de namoro e de noivado. Agora vamos transportar este exemplo para Deus, eu sou o "rapaz" e Deus e a "rapariga" quando eu peço alguma coisa a Deus mas antes sacrifiquei dei o meu tudo para Ele, Deus não me irá recusar pois as minhas atitudes estarão a clamar a meu favor. Agora se eu pedir e não sacrificar antes, Deus não poderá aceitar o pedido pois não tomei as atitudes necessárias anteriormente para Ele dizer sim. Tudo na vida exige sacrífício. Se no meu dia a dia para alcançar os meus objectivos até o final de cada dia tenho de sacrificar do meu sono, do meu tempo. Porque não irei sacrificar para Deus pois ele têm coisas maiores para me dar mas, se sacrificar.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.