Mensagens

As 4 Bofetadas Divinas (II)

22 de Julho 2013

As 4 Bofetadas Divinas (II)

Atenção: Esta mensagem não é para quem gosta de beijos e abraços carregados de mentiras…E sim, para quem prefere bofetadas carregadas de Verdades Libertadoras.

Não basta apenas subir o Altar, há que habitar n’Ele! Mas, isso só é possível por meio do sacrifício diário. Quem sobe o Altar e depois desce, acaba por perder tudo, pois é isso que temos visto acontecer com muitos.

Preste atenção às 4 ordens que Deus deu a Jacó e que também nos dá a nós:

Levanta-te;
Sobe a Betel;
Levanta um Altar;
Habita n’Ele.

Deus mandou Israel voltar a Betel e edificar um Altar, pois, da primeira vez que ele tinha estado lá foi a fugir de um problema, mas, ele agora iria por obediência à ordem de Deus. Ou seja, existem 3 formas de irmos para o Altar:

Para resolvermos um problema ou realizarmos um sonho;
Para sermos transformados em Príncipes (filho);
Para permanecermos transformados;

Quando Deus o chamou pelo nome de ‘Jacó’, não era para ele ter atendido ao chamado de Deus, pois ele já era Israel e não mais Jacó. Por isso é que quando algo, alguém ou o diabo nos vem acusar de algo que fizemos no passado, antes de sermos Transformados, logo assumimos uma posição de defesa, pois já não somos mais essa pessoa.

Quando Maria Madalena derramou o perfume nos Pés do Senhor Jesus, o diabo manifestou-se contra o sacrifício material para Deus, através dos religiosos e incrédulos. Mas ela assumiu a sua nova identidade, já não era mais prostituta, provando isso quando entrou naquela casa – mesmo sem ser convidada, e mesmo sendo mulher –, derramando todo o perfume.

Deus defende-nos quando assumimos a identidade do novo “Israel”. Quando aceitamos a “identidade” de carnais, problemáticos ou acomodados… Ele respeita, mas de nada adianta culpar a Ele ou ao Altar pelas consequências desta aceitação.

Simão, o leproso, estava diante do Senhor Jesus, que, por Sua vez, estava dentro da casa dele, mas, porque Simão não assumiu a sua fé por meio do Sacrifício, continuou leproso. Simão pensava: “como já abri as portas da minha casa para os Senhor Jesus, Ele já viu a minha boa ação, que já é tudo”. Mas, abrir a porta da nossa casa (coração), não é mais do que a nossa obrigação!

Sempre que Deus aparece, Ele dá uma revelação. Foi assim com Abraão, Isaque, Israel, Bp. Macedo e connosco. Ele não é repetitivo! Jesus disse: “Eu vim trazer um novo Mandamento”, como Se precisasse de renovar algo. Porquê? Porque Ele sabe que precisamos de renovação!

Deus sempre espera que FAÇAMOS algo novo, e não é a pensar, a sentir ou a desejar, pois só quando FAZEMOS é que passamos por esse processo de renovação.

Repare que Deus não mandou que Jacó retirasse do seu acampamento os deuses estranhos, porque Ele sabia que Jacó tinha conhecimento sobre o que tinha que ser feito. Então, Israel, depois das “bofetadas Santas”, mandou a sua família tirar os deuses estranhos do seu meio, purificar-se e lavar as vestes, e só depois Deus o mandou ir a Betel, quando o deveria ter feito antes, mas, por ele não ter assumido logo a sua nova identidade, não o fez.

Quando não temos iniciativa, não somos de sacrifício, de decisão, de confrontar a dor, o erro ou os problemas, por isso, o diabo fica ali, diante de nós, dentro da sua “tenda”: a nossa casa.

Retirar os deuses, lavar as vestes e purificarmo-nos é tirar o imundo de dentro e de fora, pois tudo o que o diabo espera é que não levantemos mais a cabeça.

Quem tem “deuses estranhos” diante do Deus Vivo, tudo o que é d’Ele lhe é estranho, como: a saúde, a paz, a prosperidade, a família unida, a Alegria da Salvação, o amor pelas almas, o Batismo com o Espírito Santo… mas, tudo o que é desses “deuses” lhe é comum, como: a doença, a miséria, a tristeza, a acomodação, o medo da morte, o egoísmo, a malícia, os maus olhos…

Ele já era Israel, mas a sua família ainda era de “Jacó”, ainda praticava os erros de antes, eram enganadores. Mas, não podemos estar preocupados em ferir os sentimentos de outros, que representam a família, amigos, conhecidos e sim ter pulso forte, fazer o que deve ser feito!

Não foi Deus que mandou Israel falar aquilo para a sua família, pois Israel já sabia o que eles estavam a fazer, o que lhe faltava era ele assumir a sua NOVA IDENTIDADE DE ISRAEL!

Te vejo na IURD, ou nas Nuvens!
Bjf

Anterior

As 4 Bofetadas Divinas

Seguinte

Jordânia


13 comments
  1. Liliana Carvalho - FJ Carnaxide

    Boa noite Bispo Julio. Muitas vezes temos medo de assumir a nova identidade porque, estamos preocupados em nao ferir a familia ou os amigos mas ao agradarmos a uns desagradamos a outros neste caso, a Deus. Quando assumimos a nova identidade nao e a nossa vontade que tem de prevalecer mas sim de Deus.

  2. joao elisi fj carnaxide

    E exactamente uma realidade de no caso subir no altar a procura de uma resposta e obvio que nao serei transformado porque, e uma atitude tomada na base da emocao por isso nunca sera um Principe mas se for para habitar no altar ( sacrificio diario) Deus me fara um Principe.

  3. divina ferreira nunes

    e verdade bispo , temos que assumir a nossa fe , nao ha algo mais glorioso do que ter a nossa vida no altar , de DEUS..........abracos

    • MILA BARROS

      Foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida bispo,conhecer jesus émaravilhoso,é gratificante,não tem explicação,quaqndo assumimos a nossa fé e temos uma comunhão total e completa com DEUS.AGRADEÇO A DEUS pelo bispo MACEDO ter fundado a igreja universal.PELO menos para mim tem sido uma benção.HOJE sou uma pessoa melhor.

  4. Angélica Alves

    Sabemos o que temos que fazer, não adianta ignorar, Deus fala, quando não o fazemos é porque estamos enganando a nós mesmos, e somente quando mudamos nossa identidade de enganadores, e ouvimos a voz de Deus é que de fato somos Israel, e vivemos no Altar de Deus.

  5. María

    Bispo para mim essa bofetada santa e que abençoa, graças a Deus por elas pois me ajuda aguar por fé. E quanto a subir ou deixar do altar, minha opçao e permanecer custe o que custar permanecerei pois ai esta minha bençao e minha Vitoria. Que Deus.o abençoe abundantemente!

  6. Rafael-FJE LEIRIA

    Quando somos transformados em Príncipes, queremos fazer com que todos aqueles que nos cercam, também desfrutem da alegria que recebemos por tal transformação. Sr bispo e ninguém gosta de algo repetido e igual, mas sim do novo e por isso devemos buscar inovar também em nossos sacrifícios, procurando surpreender a Deus positivamente, e para isso não podemos abrir mão de nossa nova identidade, agindo para tal, pois Jaco já teve seu nome e identidade transformados quando foi dito que ele lutou como príncipe ou seja já não era mais o mesmo enganador e usurpador, mas sim filho, filho do Único Rei jesus Cristo.

  7. Elísio Costa - Carnaxide

    Boa tarde Sr.bispo, Creio que se a pessoa sobe ao altar é porque quer mudar, procura uma transformação, então se ela subiu e encontrou essa transformação, quer descer por qual razão? é difícil permanecer no altar sim, mas e a alegria de manter a vida transformada? quem desce não pensa nisso, esquece daquilo que um dia já foi ou passou. quem esta no altar tem sempre de lembrar da razão de ter subido e que se descer vai voltar a mesma vida fracassada de antes.

  8. Cátia Guerreiro FJE Marinha Grande

    Pelo que eu compreendi, tudo resume-se em apenas uma palavra: DEFINIÇÃO. Quando estou definida em perseverar, eu faço o que tem de ser feito para conquistar uma nova identidade e em seguida eu faço o que estiver ao meu alcance para assumir a minha nova identidade. Não é fácil e por vezes são precisas essas Bofetadas Santas, mas ainda assim eu assumo ser uma nova pessoa através das minha atitudes.

  9. Maria do Céu Antunes/ Almada

    É verdade, temos de assumir a nova identidade e usar a autoridade que nos foi concedida, caso contrário perdemos esse direito. Se de fato sacrificamos para Deus, não para homens, nada, nem ninguém vai obstruir o nosso caminho ou tirar-nos da presença de Deus. Nada nem ninguém vai impedir que eu me mantenha na dependência de Deus e fique a sós com ELE até que me responda, a resposta vem no tempo certo, no tempo de Deus. Quando eu subo ao Altar, ainda que fisicamente eu desça, minha vida permanece ali, esta é a minha determinação.

  10. RAYSSA- FJE AMADORA

    concertesa temos que assumir a nossa identidade de Israel e sepultar a velha criatura e assim sendo o próprio sacrifício todos os dias vencendo o nosso eu.

  11. Fábio Medeiros- FJE Açores

    "Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniqüidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá." Ezequiel 18:24 (ACF) Não basta subir o ALTAR e ficar parado, porque se assim for acabaremos escorregando, temos que perseverar em habitar no MESMO.

  12. Mafer

    Eu me faço principe,o sacrificio faz correr em mim aquela "sangue azul" que so a realeza ten.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.