Mensagens

A filha do Pastor

30 de Setembro 2011

A filha do Pastor

Pastor, bispo, obreiro, evangelista… dentro da Obra de Deus, também existem títulos, uma hierarquia, uma estrutura, mas, tal como no mundo, constantemente aprendemos que todos somos humanos e, como tal, iguais… por este motivo, gostaria que lesse o seguinte testemunho, pois embora longo, é muito elucidativo em como TODOS temos que passar pelo mesmo “processo” de conversão

“Eu nasci dentro da Igreja, para ser mais clara, nasci dentro da Obra de Deus. Não me faltava nada, tinha tudo o que queria.
Não tinha problemas, e sempre estive cercada de amigos (os filhos dos outros pastores).

Quando tinha de 9 para 10 anos, desejava muito ser obreira; então, entrei para o grupo de candidatos a obreiros e escutava o pastor dizer que para sermos obreiros deveriamos servir. Eu não entendia nada porque não era nascida de Deus e, na tentativa de chamar a atenção dos meus pais e do pastor que estava responsável pelo grupo dos candidatos a obreiro, comecei a fazer coisas que nenhum filho de pastor fazia: limpava toda a Igreja, ia evangelizar, mas somente dava revistas (não passava fé para ninguém, porque eu mesma era vazia), tudo o que eu fazia era apenas para agradar ao homem e quando falava de Deus eram palavras repetidas, que escutava o meu pai falar nas reuniões.

O tempo passou e quando tinha de 10 para 11 anos fomos para Israel. Lá eu não tinha as minhas amizades e senti-me sozinha…

Os meus problemas começaram quanto eu tinha 12 anos. Eu via-me como uma boa menina, não estava no mundo, ia à Igreja, não mentia, não roubava, não matava, mas tinha dúvidas sobre o Espírito Santo e tinha medo de demónios (mas nunca dizia aos meus pais).

A minha cabeça, aparentemente, estava em Deus e na Igreja… Mentira! Eu desejava conhecer o mundo, queria conhecer as discotecas, queria saber como era estar com os rapazes, até curiosidade por drogas e álcool, queria conhecer o mundo!

De noite, comecei a ter medo e, pela falta de amigos, sentia-me sozinha, às vezes, trancava-me no quarto e chorava sem motivo (sem que ninguém soubesse).

Todo o tipo de pensamentos sujos começaram a surgir na minha mente, e quando os meus pais e o meu irmão iam dormir ligava a televisão e via todo o tipo de porcarias que dava (tinha muita curiosidade sobre tudo e sobre todos).

Comecei a ser rebelde (quando era mais jovem obedecia sempre aos meus pais), com o tempo comecei a sentir raiva de fazer o que eles me mandavam.
Tinha, supostamente, respeito por eles, quando falavam comigo eu dizia que sim, mas por trás reclamava e xingava.

Ver porcarias na televisão tornou-se algo constante, mas quando ia dormir sentia-me pesada (porque eu sabia que estava a agir erradamente). Sentia-me acusada e assim continuou por vários meses… pequenas mentiras, desobediência, escondia coisas dos meus pais, comecei a guardar mágoa no coração contra pessoas que tinham ficado no Brasil (até por pequenas coisas eu guardava ódio no coração). Nunca contei nada a ninguém… afinal, o que pensariam de mim?

Uma noite, não conseguia dormir bem, era como se todos os demónios me estivessem a acusar, sentia-me pesada e triste, era uma angústia tão grande, mas tão grande que me doía o coração. Os pensamentos estavam a mil (que Deus não me iria perdoar, que eu estava perturbada), decidi ir ao quarto dos meus pais pedir oração, mas o meu orgulho foi maior, não queria que ninguém soubesse que eu não estava bem com Deus, então, fiquei a vaguear pela casa, até que pedi a ajuda de Deus e a angústia se foi.

Mas, a partir daquele dia, comecei a pensar: “como pode ser? Eu minto, sou rebelde, tenho maus pensamentos, na outra noite não consegui dormir bem.
Isso quer dizer que eu não tenho um encontro com Deus! Estou podre por dentro, tenho que mudar!”

Comecei a praticar tudo o que eu já sabia, pedi perdão a Deus, mas ainda me sentia pesada, algo me acusava. Tive que ir falar com a minha mãe, passar por cima do orgulho que tinha e passar por cima do medo do que ela pensaria de mim. Não foi fácil, mas falei com ela, falei com o meu pai e pedi a ele que me batizasse naquele momento (enchemos a banheira de casa e foi ali que morri de verdade, já me tinha batizado antes, mas não foi verdadeiro).

Fiz, então, uma lista de todas as pessoas que eu odiava (liguei para cada uma delas e pedi perdão), comecei a esforçar-me para obedecer. Falando com a minha mãe contei como eu estava suja, as coisas que pensava e fazia:
logo depois, dentro do meu quarto, clamei a Deus e foi ali mesmo que tive um encontro com Ele! Que alegria, encontrei o Deus a Quem os meus pais serviam. Aquela curiosidade intensa que eu sentia em conhecer o mundo desapareceu, comecei a odiar tudo isso e a sentir amor pelas pessoas.

Não foi fácil, no colégio todos iam a festas, quase todos fumavam e alguns odiavam-me porque sabiam que eu era cristã.
Mas eu já não queria ser como eles, queria salvá-los! Já não me importava o que pensariam de mim, por fim, tornei-me livre, não tinha que agradar aos demais para me sentir bem!

A minha luta continuou até receber o batismo com o Espírito Santo, tive que praticar tudo o que eu já sabia.

Aos 14 anos fui levantada a obreira em Nazaré, e agora sim, tinha algo para oferecer às pessoas, eu servia a Deus; fazia as coisas na Igreja, mas não para que os outros me aprovassem, porque fazia para Deus. Por fim, estava a servir a Alguém que conheci e até hoje continuo a servir.

Todos nascemos iguais, com a natureza mundana, mas eu pensava que por ser filha de bispo não era como as demais pessoas, enganei-me, pois estava pior do que os que estavam fora da Igreja. TODOS necessitam de um encontro com Deus!”

Sarah Maia – Espanha

Espero ter colaborado em algo, Bjf


28 comments
  1. Daniela,Ilhas Mauricias

    E' muito maravilhoso ver os ''filhos'' se convertendo!!! Sou uma filha de pastor e comigo aconteceu o mesmo Bispo! Meus 20 e poucos anos de Igreja nao foram suficientes quando o deserto chegou para mim! Infelizmente os ''filhos'' nao herdam ''a chamada para o altar'', nao herdamos o novo nascimento e nem o Batismo com o Espirito Santo. Mesmo sendo ''filhos'' de pessoas de Deus n'os temos que ter nossas proprias experiencias!!! Vou ser sincera Bispo, nossas experiencias parecem ser mais dolorosas!!!Pois nos sentimos perdidos na casa do Pai,que coisa horrivel!!! Mas ao buscar, ao se humilhar diante deste Deus Misericordioso,Ele nos liberta!Bispo queremos mais testemunhos dos filhos dos pastores!!!Abraco a todos desde de Africa,Ilhas Mauricias.

  2. Ah foi exatamente isso que me aconteceu também, quando estava lendo,vi a minha história...Tinha curiosidade de conhecer o mundo, tinha todos os tipos de pensamentos errados também! Enfim, tudo isso mudou quando eu também tive o meu Encontro com Deus e recebi o Espírito Santo...Eu também nasci na IURD! Isso comprova que TODOS mesmo necessitam de uma experiência pessoal com Deus! Beijos, NA FÉ!

  3. Daniel

    Sarah mto forte esse seu testemunho minha prima!!! Não é só porque a pessoa que tem os pais na obra sendo ele bispo ou pastor, tem que nascer e viver de acordo com as regras que são dadas! Achei mto legal você expor essa parte da sua vida e mostrar que Deus pode mudar a nossa vida se a gente querer! Abraços d tdos nós daqui do Brasil!! Felicitaciones

  4. EDUARDO

    MUITO FORTE, SINCERO E VERDADEIRO BISPO. QUE MARAVILHA, QUANDO SE TEM PESSOAS QUE DEUS AS FAZEM SINCERAS E PURAS. FAZEM NASCEREM DE NOVO, MESMO VIVENDO EM UM LAMAÇAL. TÁ LIGADO!!

  5. Jardene Cândido

    Esse testemunho é muito forte, eu desejo que muitos venham ver e venham mudar para gloria de Deus.

  6. Patrícia

    Sou filha de pastor e já passei por muitas coisa que a senhora citou a cima, mas graças a Deus eu tive um encontro com Ele e estou como obreira a 2 anos. Agradeço a Deus por ser filha pois é uma oportunidade única de muitos apredizados mas também muitas lutas e com toda certeza com muitas vitórias!!! Gostei muito desse post. Deus abençoe!

  7. sandra

    Pois é,a mesma curiosidade que DINÁ,filha de JACÓ,teve em conhecer "as meninas da terra",e que fez com que a destruicao chegasse à sua familia,é o mesmo mal que age até os dias de hoje na vida dos jovens convertidos.

  8. Cristovão Perpétua (Leiria)

    esta testemunho é muito forte

  9. Luciana Mendes - Baixa da Banheira

    Muito forte este testemunho. Realmente, o facto de ter nascido de pais convertidos, não implica tácitamente, que a pessoa vai ser convertida também. A única coisa que traz dos pais, é os genes e a carne, a ALMA é outra; logo tem que passar pelo mesmo processo de conversão ao seu Criador e Salvador, O SENHOR JESUS. Que este exemplo possa ajudar a muitos que se encontrem nesta situação. No entanto, para tal, é necessário que a pessoa seja sincera com ela própria e deixe tudo de lado, e busque a ajuda que ela necessita para a mudança. Que Deus nos Abençoe. Na FÉ!

  10. Josiane Boccoli

    Verdade, a conheci ainda Sarinha e tive o previlegio de estar perto dela ate o casamento. Certamente foi uma jovem de Deus com sede de ganhar almas e ensinar, suas respostas por muitas vezes me surpreenderam com tanta Fe e razao! Hoje se tornou uma esposa linda e uma mulherV

  11. Suzana Braga

    Que Deus seja glorificado através desse testemunho, e abençoe a Sarah. Eu também sou filha de pastor e tambem passei por isso, mas eu tive o encontro com Deus e nasceu dentro de mim o desejo de seguir o exemplo dos meus pais, salvar as almas!Amo a obra de Deus e meu maior desejo é glorifica-Lo.E oro por os outros filhos de pastores que vivem na igreja,mas que dentro deles vive o mundo, encontrem o mesmo Deus que eu encontrei.

  12. Vania

    Minha filha de 14 anos ta assim,nao ta indo na igreja e quer conhecer o mundo,mas lá nao e o lugar dela e tenho certeza que vai voltar logo,porque ela e d Deus,e assim e que vai ser

  13. Angélica Ramalhete

    Tá ligado Dona Sarah! Que dera se todos que não são nascidos de Deus despertassem para isso, de conhecerem à Deus acima de tudo. Que Jesus abençoe cada vez mais.

  14. Olá bispo! Esse testemunho é muito forte ,e muito claro a respeito de todos sermos iguais e passarmos por problemas apesar de ser quem for bispo,filha d ebispo,pastor ou esposa.Todos nós precisamos passar pelo mesmo processo de conversão que é o de morrer para o mundo e nascer para Deus! Um Forte abraço bispo!

  15. Muy bueno el testimonio de esta joven, con certeza ayudará a muchos que están en la misma situación, esclavos del orgullo y que se esconden por detrás del titulo del padre. Con certeza ayudará a muchos!

  16. desconhecida

    Eu passei por algo parecido, minha mãe conheceu a IURD quando tinha 8 anos e eu achava que era de Deus, por que conheci a igreja cedo, não roubava, não mentia ou seja eu era evangélica de berço mas tinha toda essa curiosidade pelo o mundo como a senhora e sofri muito ate compreender meu erro, mas graças a Deus e a sua misericórdia conheci Jesus e vivo com ele em meu coração e a servi-lo com todo amor e gratidão.

  17. Thaís Cristhina

    Bispo, a história da Sarah é muito parecida com a minha, também nasci dentro da igreja a diferença era que eu já sabia que isso não era o suficiente, mas mesmo assim me enganei. Cresci e começei a buscar o Espírito Santo e recebi, mas por causa de um vacilo meu, mesmo estando dentro da igreja e convivendo num lar cristão quase que O perdo de vez...Então quero usar esse espaço para alertar todas as meninas que assim como eu nasceram na igreja, que temos que ficar sempre em alerta, pois o diabo tem muita, muita sede em nos derrubar, porque além de nos envergonhar ele quer que levemos juntos conosco aquelas outras meninas que se espelham em nós. Estejamos atentas! Na fé.

  18. Humar Santos

    Um testemunho totalmente diferente, isso é para todos aprendermos que qualquer pessoa que nasce neste mundo, inicialmente é mundana, porém tem a oportunidade de entregar-se totalmente a Deus! FORÇA JOVEM CENÁCULO LISBOA

  19. fatima

    Muito real e verdadeiro pois o viver na prática da obediencia é bem diferente do viver no engano...

  20. Muito interessante o Testemunho dela. Parabéns Sarah, pela mudança de vida e por ter reconhecido que você tinha que nascer de Deus. A Sua História é parecida com a minha. Eu tenho certeza que irá ajudar muitas pessoas que se encontram igual ou parecida com a sua história. Que Deus Abençoe.

  21. Daniela S. Freitas

    Que lindo! todos os filhos de pastor deveriam ser assim. Percebo que todos os filhos de pastores convertidos que conheço tinham medo do diabo quando eram criança, será isso um sinal de que os pais nao devem excluir seus filhos das reuniões de libertação espiritual? se os filhos de pastores nao conhecem o mundo por experiência própria que conheçam pelo menos quem é o dono do mundo e isso já será suficiente pra eles pensarem 10 vezes antes de se entregar a ele. Assim como esses também conheço filhos de pastores que nao se converteram e justamente estes estavam no escritório do pai ou em casa na hora que o pai estava ministrando a libertação das pessoas, evangelizando ou, como se diz, "com a mao na massa" talvez por isso, quem sabe, eles nao tem temor pela obra de Deus, nem percebem o quão linda ela é e a rejeitam. Nao sou mae, mas se fosse, faria como a minha, que nao se preocupava se iamos dar trabalho ou nao, e nos levava em todas as suas actividades espirituais e nao se preocupava se íamos dormir ou nao a noite, ficávamos as vezes até 1 da manha vendo meu pai libertar uma pessoa possessa por legiões que nao queriam sair... de todas as formas isso colaborou pra que eu tivesse temor e hoje conhecendo a Deus O sirva. Saudaçoes bispo

    • Deborah

      Daniel, oi oi, Eu intendi o seu comentário e tudo mas posso ser sincera? Não é por ai que faz.. Sim os pais podem mandar os filhos pra escolinha, grupo jovem, reunião de libertação pode mandar pra tudo! Mas se o próprio Deus não chamar aquele filho ou filha de pr ou bp ele ou ela nunca vai mudar. Eu falo isso porque eu passei por algo parecido ate demais. E se não fosse por Deus ter me dado uma sacudida, me acordando para a realidade, eu provavelmente iria viver como qualquer outra menina ai fora. Eu falo que Deus me deu uma sacudida porque eu poderia muito bem me conformar com a minha miséria e dizer ah é normal, ah vou para boate hoje a noite e vai tudo melhorar. Eu acredito que Deus é quem nos chama, agora basta a gente reconhecer que ele esta falando "acorda, você já não é mais criança, volta pra casa" Não adianta deixar seus filhos preso na igreja porque se o coração deles estão no mundo, o que você pode fazer? Vai arrancar o coração dele ou dela? Não.. os pais fazem a parte deles, levam pra igreja, mostra a verdade. Agora.. basta os filhos reconhecerem que precisam de Deus antes que seja tarde demais. Nem adianta culpar os pais, coitados, eles fazem o que podem! Agora cada um tem que ter sua experiencia com Deus. Eu estou no processo ainda, estou buscando o Espirito Santo, e não vou desistir porque eu sei que eu não tenho nada, e se eu desistir só vai ser pior porque eu não tenho nada, sim tenho família, amigos, lugar para morar, comida em casa, não me falta nada, mas isso tudo pra mim não significa nada, eu reconheço que eu PRECISO dele. Eu quero que Ele seja meu tudo. Enfim é isso.

    • Nathália

      Ah que forte quando a senhora disse: 'Eu estou no processo ainda, estou buscando o Espirito Santo, e não vou desistir porque eu sei que eu não tenho nada, e se eu desistir só vai ser pior porque eu não tenho nada, sim tenho família, amigos, lugar para morar, comida em casa, não me falta nada, mas isso tudo pra mim não significa nada, eu reconheço que eu PRECISO dele. Eu quero que Ele seja meu tudo.' É isso que estou passando, é isso que estou vivendo... Eu O quero muito pois nada tenho, estou lutando com TODAS as minhas forças, de Todo o meu ser, estou focada em uma só coisa: SER BATIZADA, SER POSSUIDA PELO ESPÍRITO DO MEU SENHOR JESUS CRISTO! Na fé.

  22. Olá bispo, sigo seu blog há algum tempo, porém sem comentar, mais hoje li muita coisa que me fez enchergar a minha história na vida dessa menina. Sou filha de pastor e também passei exatamente pelas mesmas coisas que essa menina, nutri mágoas contra pessoas que realmente fizeram coisas ruins para minha família todinha, que macharam meu nome com mentiras e etc. Pena não os via como marionetes na mão do diabo, e sim como enganadores que mereciam sofrer. Em fim, fiz muita besteira, mas Deus teve misericórdia de mim, e enviou um bispo, que ele e a esposa dele lutaram por mim, ele não me julgaram como todos julgavam (rebelde sem causa), não. Me viram como uma alma como qualquer outra. Ao invés de me afastarem dos filhos deles (que eram até um pouco mais novos do que eu), eu tinha 18 e o mais velho deles tinha 15, ele me puxaram para perto. Cuidaram de mim como se fosse filha. Deus os usou e salvou-me do inferno. Hoje eu sinto pena daquelas pessoas que me perseguiram (sem motivos), pois sei que quando Deus pesar a mão sobre eles, ele vão sofrer, e peço que Deus tenha misericórdia de cada alma. Mais ainda não é só, infelizmente minha irmã mais nova, foi muito influênciada por mim, e para ela está sendo bem mais difícil, pois a grande maioria encherga de forma errada e esquece que dentro do meio também exitem muitas almas a serem salvas. Mais creio que Deus está fazendo a obra e que tudo é no tempo d'Ele. Na fé.

  23. Rafael Martins

    Muito legal o testemunho da Sarah, infelizmente MUITOS não podem dar o mesmo testemunho porque deixam o orgulho falar mais alto, isso os impede de se abrir completamente a Deus e continuam na vida que estão pensando que está tudo bem devido a o título que o pai ou a família tem...muito triste. Parabéns Sarah, temos testemunhos parecidos, tenho certeza que a tua história vai ajudar muitos "filhos" e muitos que se encontram numa situação igual ou parecida com a tua.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.